Cirurgia plástica: quanto custa e quando é recomendada

A cirurgia plástica é o procedimento cirúrgico indicado para reconstituir uma parte do corpo, seja por razões médicas, reparadoras e imprescindíveis ou também por razões estéticas, sendo essas as mais procuradas pelos pacientes, principalmente no Brasil, que possui um índice muito grande de pessoas em busca de cirurgias plásticas.

O conceito de cirurgia plástica só foi introduzido por volta de 1818, mas há relatos e descrições antigas de procedimentos reparadores ainda nas épocas remotas, encontrados em papiros egípcios, que descrevem reconstruções de narizes, orelhas e colocação de enxertos em lábios deformados.

Quando a cirurgia é reparadora, o objetivo é corrigir lesões que estejam atrapalhando a boa saúde do paciente ou defeitos congênitos. Também corrige defeitos adquiridos após acidentes, traumas ou outros procedimentos cirúrgicos.

Já quando a cirurgia feita é sob a ótica estética, o objetivo é aperfeiçoar alguma parte do corpo, melhorando a aparência. Não interfere diretamente no estado de saúde da pessoa, que visa especialmente à beleza após a intervenção. Os exemplos mais comuns são a inserção de próteses de silicone nos seios, a lipoaspiração que visa à diminuição drástica dos excessos de gordura e tecidos do corpo, a rinoplastia (reparo no nariz), otoplastia (reparo nas orelhas), correção de cicatrizes, etc.

Onde fazer

Toda cirurgia envolve riscos sérios. Portanto é mais do que importante fazer uma pesquisa prévia sobre o lugar em que se decidiu por fazer o procedimento cirúrgico na Associação Brasileira de Cirurgia Plástica.

Há casos em que o paciente se submeteu a cirurgias em locais pouco confiáveis e com profissionais não capacitados e acabou por ter lesões ainda mais graves ou até mesmo perder a vida.

Durante as consultas preparatórias, não tenha vergonha de perguntar absolutamente nada. É normal que surjam muitas duvidas a respeito do resultado e da recuperação no pós-operatório. O bom cirurgião deve responder a todas elas com o máximo de detalhes possível, para que não reste nenhum tipo de insegurança por parte do paciente. É responsabilidade dele também deixar claros todos os riscos que o paciente corre, assim como a decisão final de fazer ou não o procedimento, sem nenhum tipo de pressão.

Pós-operatório

Após a cirurgia plástica, o paciente deverá seguir à risca todas as recomendações médicas, para evitar problemas como inflamações, cicatrizes e inchaços por longos períodos de tempo.

Entre as indicações estão o repouso absoluto, os medicamentos prescritos pós-cirúrgicos, troca de curativos e recomendações alimentares.

Riscos e benefícios

Os riscos existem, até mesmo em grandes clínicas estéticas especializadas, por isso é fundamental escolher o local certo, mesmo que o preço seja perceptivelmente mais caro.

Confira a seguir um vídeo do hospital Israelita Albert Einsteins sobre os riscos e benefícios de se fazer a cirurgia plástica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *